Superaposta
Copa América 2016

CHILE Copa América Centenário 2016

CHILE Copa América Centenário 2016

A base chilena é a mesma do título de 2015, não contando no entanto com aquela que era provavelmente uma das “peças chave”: Jorge Sampaoli. Agora, com o espanhol Juan Antonio Pizzi como treinador, o Chile tenta continuar jogando no mesmo nível que apresentava quando era comandado pelo argentino.

Mesmo com a alteração na comissão técnica, “La Roja” segue sendo uma das mais favoritas à Copa América Centenário. Atrás apenas de Argentina, Brasil e dos donos da casa, Estados Unidos, os chilenos continuam com a moral lá em cima.

  • Alcunha: La Roja
  • Treinador: Juan Antonio Pizzi
  • Jogador Chave: Alexis Sánchez
  • Presenças na Copa América: 37
  • Melhor desempenho na Copa América: Campeão 1 vez (2015)
  • Ranking FIFA: 5.º Lugar
  • Ranking SuperAposta: 4 estrelas
  • Odds: 8.00 (para vencer a Copa América Centenário)

Pontos Fortes

O esquema tático, que privilegia o futebol ofensivo, foi o principal ponto forte do Chile na era Sampaoli. Tão positivo, que tem sido mantido por Pizzi.

Com um ataque bastante dinâmico, começando desde o sistema com três zagueiros, passando pelos alas/laterais bem avançados e volantes que saem muito para jogar. Chegando até a zona mais ofensiva do campo, que conta com os “perigosos” Valdívia, Sánchez e Vargas, que trocam de posição e ocupam os espaços abertos no campo a todo momento, dificultando muito a marcação adversária.

Vidal é outra peça essencial para o esquema tático funcionar. O volante do Bayern de Munique consegue cadenciar o jogo da melhor maneira possível. Como um clássico volante treinado por Guardiola, praticamente toda a bola que sai da defesa para o ataque passa pelos pés de Arturo Vidal.

Pontos Fracos

A baixa estatura dos três defensores é um problema que o Chile vem enfrentando desde a Copa do Mundo. Durante a Copa de 2014, por exemplo, “La Roja” jogou quase sempre com três zagueiros (Medel, Jara e Francisco Silva) que em média tinham 1,75m de altura, sendo que nenhum deles passa do 1,80m.

Mesmo quando jogam com quatro defensores (dois laterais e dois zagueiros centrais), a estatura média continua baixa. Como foi o caso da defesa que enfrentou a Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo (Isla, Medel, Jara e Mena) que, em média, tinha os mesmos 1,75m.

A baixa estatura é sempre um “handicap” contra adversários que costumam jogar alçando bolas na área. Para o Chile, a desvantagem é ainda maior neste campo.

Alexis Sanchez, atacante do Arsenal, é o principal jogador do setor ofensivo chileno

Alexis Sanchez, atacante do Arsenal, é o principal jogador do setor ofensivo chileno

Principais Jogadores

O atacante Alexis Sánchez é o principal jogador do setor ofensivo da seleção chilena. O atacante do Arsenal desenvolve um importante papel no ataque “Rojo”, com muita movimentação e inversão de posições com os outros membros do ataque chileno.

Arturo Vidal, volante do Bayern de Munique, é outro que está entre os principais jogadores dos atuais campeões. Essencial no título da Copa América, ele segue sendo essencial no meio de campo e na saída de bola do Chile. Sendo treinado por Guardiola desde julho/2015, suas habilidades em troca de passes e ocupação de espaços estão ainda mais aprimoradas.

Grupo

O Chile foi sorteado no grupo D, ao lado da Argentina, com quem irá reeditar, já na primeira fase, a final da última edição de Copa América. Bolívia e Panamá são os outros integrantes do grupo, que tentarão surpreender e tirar a classificação de algum dos finalistas do ano passado.

Histórico na Copa América

Até a Copa América de 2015, disputada em casa e com o apoio de sua torcida, o Chile nunca havia vencido a competição continental. Aquele, inclusive, foi o primeiro título da história da seleção chilena em competições de cunho oficial.

No entanto, antes do título, conquistado contra a Argentina nos pênaltis, após empatarem em 0-0 no tempo normal, “La Roja” já havia chegado em outras quatro finais. Nas primeiras, em 1955 e 1956, foram derrotados por Argentina e Uruguai, respetivamente.

As outras decisões foram mais recentes, já na nova era da Copa América. Em 1979, foram derrotados pelo Paraguai e, em 1987, na Argentina, perderam frente ao Uruguai, por 1-0.

Arturo Vidal é o comandante do meio-campo

Arturo Vidal é o comandante do meio-campo da Roja

23 Convocados

  • Goleiros: Claudio Bravo (Barcelona-ESP), Johnny Herrera (Universidad de Chile-CHI) e Christopher Toselli (Universidad Católica-CHI).
  • Defensores: Mauricio Isla (Olympique de Marselha-FRA), José Pedro Fuenzalida (Universidad Católica-CHI), Gonzalo Jara (Universidad de Chile-CHI), Enzo Roco (Espanyol-ESP), Gary Medel (Inter de Milão-ITA), Eugenio Mena (São Paulo-BRA) e Jean Beausejour (Colo Colo-CHI).
  • Meias: Marcelo Díaz (Celta-ESP), Francisco Silva (Chiapas-MEX), Erick Pulgar (Bologna-ITA), Arturo Vidal (Bayern de Munique-ALE), Matías Fernández (Fiorentina-ITA), Charles Aránguiz (Bayer Leverkusen-ALE), Pedro Pablo Hernández (Celta-ESP) e Edson Puch (LDU-EQU).
  • Atacantes: Fabián Orellana (Celta-ESP), Alexis Sánchez (Arsenal-ING), Mauricio Pinilla (Atalanta-ITA), Nicolás Castillo (Universidad Católica-CHI) e Eduardo Vargas (Hoffenheim-ALE).

11 Provável do Chile na Copa América Centenário 2016:

11 provável do Chile na Copa América Centenário 2016

11 provável do Chile na Copa América Centenário 2016

Faça sua SUPERAPOSTA na Copa América Centenário 2016

Copa América Centenário 2016

Clique aqui e conheça as 16 equipes da Copa América Centenário 2016

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Populares

Superaposta

Copyright © 2018 SuperAposta

Topo